DRAGÃO AMARELO

Videos
 

 

LIVROS E DOCUMENTOS

EVANGELHOS APÓCRIFOS

CODEX VI

Asclepius 21-29
Traduzido por James Brashler, Peter A. Dirkse e Douglas M. Parrott


" E se você (Asclepius) deseja ver a realidade desse mistério, então você deve ver a maravilhosa representação da relação sexual que ocorre entre o macho e a fêmea. Pois quando o sêmen atinge o clímax, ele salta para a frente. Nesse momento, a fêmea recebe a força do macho; o macho, por sua vez, recebe a força da fêmea, enquanto o sêmen faz isso.

"Portanto, o mistério da relação sexual é realizado em segredo, a fim de que os dois sexos não possam se desonrar diante de muitos que não experimentam essa realidade. Para cada um deles (os sexos) contribui com sua (parte própria em) a gerar. Pois se isso acontece na presença de quem não entende a realidade, (é) risível e inacreditável. E, além disso, são mistérios sagrados, de ambas as palavras e atos, porque não só não são ouvidos, mas também não são vistos.

"Portanto, essas pessoas (os incrédulos) são blasfemadores. Eles são ateus e impiosos. Mas os outros não são muitos; em vez disso, os piedosos que são contados são poucos. Portanto, a maldade permanece entre (os) muitos, uma vez que o aprendizado sobre as coisas que são ordenadas não existe entre eles. Pois o conhecimento das coisas que são ordenadas é verdadeiramente a cura das paixões da matéria. Portanto, aprender é algo derivado do conhecimento.

"Mas se há ignorância, e o aprendizado não existe na alma do homem, (então) as paixões incuráveis persistem nela (a alma). E o mal adicional vem com eles (as paixões), na forma de uma ferida incurável. E a ferida constantemente roe a alma, e através dela a alma produz vermes do mal, e fede. Mas Deus não é a causa dessas coisas, já que ele enviou aos homens conhecimento e aprendizado.

"Trismegistus, ele os enviou para homens sozinhos?"
" Sim, Asclepius, ele enviou-os para eles sozinho. E é justo que lhe digamos por que só aos homens ele concedeu conhecimento e aprendizado, o loteamento do seu bem.

"E agora ouça! Deus e o Pai, mesmo o Senhor, criaram o homem subsequente aos deuses, e ele o tirou da região da matéria. Uma vez que a matéria está envolvida na criação do homem, de [...], as paixões estão nele. Portanto, eles fluem continuamente sobre seu corpo, pois esta criatura viva não teria existido de outra forma, exceto que ele tinha tomado esta comida, uma vez que ele é mortal. Também é inevitável que desejos inoportunos, que são prejudiciais, habitem nele. Para os deuses, desde que eles surgiram por uma matéria pura, não precisam de aprendizado e conhecimento. Pois a imortalidade dos deuses é aprender e saber, desde que eles surgiram fora da matéria pura. Ela (imortalidade) assumiu para eles a posição de conhecimento e aprendizado. Por necessidade, ele (Deus) estabeleceu um limite para o homem; ele o colocou em aprendizado e conhecimento.

"Em relação a essas coisas (aprendizado e conhecimento) que mencionamos desde o início, ele (Deus) as aperfeiçoou para que, por meio dessas coisas, ele pudesse conter paixões e males, de acordo com sua vontade. Ele trouxe sua (mulher) existência mortal para a imortalidade; ele (homem) tornou-se bom (e) imortal, assim como eu disse. Pois ele (Deus) criou (a) natureza dupla para ele: o imortal e o mortal.

"E aconteceu assim por causa da vontade de Deus que os homens sejam melhores que os deuses, já que, de fato, os deuses são imortais, mas só os homens são imortais e mortais. Portanto, o homem tornou-se semelhante aos deuses, e eles conhecem os assuntos uns dos outros com certeza. Os deuses sabem as coisas dos homens, e os homens sabem as coisas dos deuses. E estou falando de homens, Asclepius, que alcançaram aprendizado e conhecimento. Mas (sobre) aqueles que são mais vaidosos do que estes, não é apropriado que digamos qualquer coisa base, uma vez que somos divinos e estamos introduzindo assuntos sagrados.

"Desde que entramos na questão da comunhão entre os deuses e os homens, saiba, Asclepius, aqui em que o homem pode ser forte! Pois assim como o Pai, o Senhor do universo, cria deuses, desta mesma forma homem também, esta criatura mortal, terrena, viva, aquela que não é como Deus, também cria deuses. Ele não só se fortalece, como também se fortalece. Não só é Deus, mas também cria deuses. Está surpreso, Asclepius? Você é você mesmo outro descrente como os muitos?

"Trismegistus, concordo com as palavras (faladas) comigo. E eu acredito em você enquanto você fala. Mas também fiquei surpreso com o discurso sobre isso. E eu decidi que o homem é abençoado, uma vez que ele desfrutou deste grande poder.

"E o que é maior do que todas essas coisas, Asclepius, é digno de admiração. Agora está claro para nós sobre a raça dos deuses, e nós confessamos junto com todos os outros, que ele (a raça dos deuses) surgiu de uma questão pura. E seus corpos são apenas cabeças. Mas o que os homens criam é a semelhança dos deuses. Eles (os deuses) são da parte mais distante da matéria, e ele (o objeto criado pelos homens) é do exterior (parte) do ser dos homens. Não só são (o que os homens criaram), mas (eles são) também todos os outros membros do corpo, e de acordo com sua semelhança. Assim como Deus tem vontade de que o homem interior seja criado de acordo com sua imagem, da mesma forma, o homem na terra cria deuses de acordo com sua semelhança."

"Trismegistus, você não está falando de ídolos, está?"
" Asclepius, você mesmo está falando de ídolos. Você vê que novamente, você mesmo, Asclepius, também é um descrente do discurso. Você diz sobre aqueles que têm alma e amplitude, que eles são ídolos - estes que trazem esses grandes eventos. Você está dizendo sobre esses que dão profecias de que eles são ídolos - estes que dão aos homens doença e cura que [...] eles.

"Ou você é ignorante, Asclepius, que o Egito é (a) imagem do céu? Além disso, é o lugar de moradia do céu e todas as forças que estão no céu. Se é apropriado para nós falar a verdade, nossa terra é (o) templo do mundo. E é apropriado para você não ser ignorante que chegará um momento nela (nossa terra, quando) egípcios parecem ter servido a divindade em vão, e toda a sua atividade em sua religião será desprezada. Pois toda divindade deixará o Egito, e fugirá para o céu. E o Egito ficará viúvo; será abandonada pelos deuses. Pois os estrangeiros virão para o Egito, e eles vão governá-lo. Egito! Além disso, os egípcios serão proibidos de adorar a Deus. Além disso, eles entrarão na punição final, especialmente quem quer que entre eles seja encontrado adorando (e) honrando a Deus.

"E nesse dia, o país que era mais piedoso do que todos os países se tornará impioso. Não estará mais cheia de templos, mas estará cheia de túmulos. Também não estará cheio de deuses, mas (estará cheio de) cadáveres. Egito! O Egito se tornará como as fábulas. E seus objetos religiosos serão [...] as coisas maravilhosas, e [...], e se suas palavras são pedras e são maravilhosas. E o bárbaro será melhor do que você, egípcio, em sua religião, se (ele é) um cita, ou os hindus, ou algum outro desse tipo.

"E o que é isso que eu digo sobre o egípcio? Pois eles (os egípcios) não abandonarão o Egito. Pois (em) o tempo (quando) os deuses abandonaram a terra do Egito, e fugiram para o céu, então todos os egípcios morrerão. E o Egito será feito um deserto pelos deuses e pelos egípcios. E quanto a você, River, haverá um dia em que você fluirá com sangue mais do que água. E os corpos serão (empilhados) mais altos que as barragens. E aquele que está morto não será lamentado tanto quanto aquele que está vivo. De fato, este último será conhecido como um egípcio por conta de sua língua no segundo período (de tempo). - Asclepius, por que está chorando? - Ele vai parecer (a) estrangeiro em relação aos seus costumes. O Egito Divino sofrerá males maiores que estes. O Egito - amante de Deus, e o lugar de moradia dos deuses, a escola de religião - se tornará um exemplo de impiosidade.

"E nesse dia, o mundo não será maravilhado com, [...] e imortalidade, nem será adorada [...], pois dizemos que não é boa [...]. Tornou-se nem uma única coisa nem uma visão. Mas corre o risco de se tornar um fardo para todos os homens. Portanto, será desprezado - o belo mundo de Deus, o trabalho incomparável, a energia que possui bondade, a visão formada pelo homem. A escuridão será preferida para a luz, e a morte será preferida para a vida. Ninguém olhará para o céu. E o homem piedoso será considerado insano, e o homem impioso será honrado como sábio. O homem que tem medo será considerado forte. E o bom homem será punido como um criminoso.

"E sobre a alma, e as coisas da alma, e as coisas da imortalidade, juntamente com o resto do que eu disse a você, Tat, Asclepius e Ammon - não só serão considerados ridículos, mas também serão considerados vaidade. Mas acredite em mim (quando digo) que pessoas desse tipo estarão ameaçadas pelo perigo final à sua alma. E uma nova lei será estabelecida... (Faltam 2 linhas) ... eles vão... (linha faltando) ... bom. Os anjos perversos permanecerão entre os homens, (e) estarão com eles, (e) levá-los a coisas perversas de forma imprudente, bem como em ateísmo, guerras e saques, ensinando-lhes coisas contrárias à natureza.

"Nesses dias, a terra não será estável, e os homens não navegarão pelo mar, nem conhecerão as estrelas no céu. Cada voz sagrada da palavra de Deus será silenciada, e o ar será doente. Tal é a senilidade do mundo: ateísmo, desonra, e o desrespeito de palavras nobres.

"E quando essas coisas aconteceram, Asclepius, então o Senhor, o Pai e Deus do único primeiro deus, o criador, quando ele olhou para as coisas que aconteceram, estabeleceu seu projeto, o que é bom, contra a desordem. Ele tirou o erro, e cortou o mal. Às vezes, ele submergiu-lo em uma grande inundação; em outras ocasiões, ele queimou-o em um fogo escaldante; e em outros momentos, ele esmagou-o em guerras e pragas, até que ele trouxe ... (Faltam 4 linhas) ... do trabalho. E este é o nascimento do mundo.

"A restauração da natureza dos piedosos que são bons ocorrerá em um período de tempo que nunca teve um começo. Pois a vontade de Deus não tem início, mesmo como sua natureza, que é a sua vontade (não tem início). Pois a natureza de Deus é a vontade. E sua vontade é a boa.

"Trismegistus, é propósito, então, (o mesmo que) vontade?"
" Sim, Asclepius, já que o testamento está (incluído) no conselho. Para <ele> (Deus) não terá o que tem da deficiência. Uma vez que ele está completo em todas as partes, ele quer o que ele (já) totalmente tem. E ele tem tudo de bom. E o que ele quer, ele vai. E ele tem o bem que ele vai. Portanto, ele tem tudo. E Deus quer o que quiser. E o mundo bom é uma imagem do Bom."

"Trismegistus, o mundo é bom?"
" Asclepius, é bom, como vou lhe ensinar. Por tão... (Faltam 2 linhas) ... da alma e da vida [...] do mundo [...] saem na matéria, aqueles que são bons, a mudança do clima, a beleza, e o amadurecimento dos frutos, e as coisas semelhantes a tudo isso. Por causa disso, Deus tem controle sobre as alturas do céu. Ele está em todos os lugares, e ele olha para fora em todos os lugares. E (em) seu lugar não há nem o céu nem a estrela. E ele está livre do (o) corpo.

"Agora o criador tem o controle no lugar que fica entre a terra e o céu. Ele é chamado de "Zeus", ou seja, "Vida". Plutônio Zeus é senhor sobre a terra e o mar. E ele não possui o alimento para todas as criaturas vivas mortais, pois (é) Kore que dá o fruto. Essas forças são sempre poderosas no círculo da terra, mas as dos outros são sempre de Ele-quem-é.

"E os senhores da terra se retirarão. E eles vão se estabelecer em uma cidade que está em um canto do Egito e que será construída em direção ao pôr do sol. Todo homem vai entrar nele, quer eles venham para o mar ou na costa.

"Trismegistus, onde estes serão resolvidos agora?"
" Asclepius, na grande cidade que fica na montanha líbia... (Faltam 2 linhas) ... assusta [...] como um grande mal, na ignorância do assunto. Para a morte ocorre, que é a dissolução dos trabalhos do corpo, e o número (do corpo), quando ele (morte) completa o número do corpo. Pois o número é a união do corpo. Agora o corpo morre quando não é capaz de sustentar o homem. E esta é a morte: a dissolução do corpo e a destruição da sensação do corpo. E não é necessário ter medo disso, nem por causa disso, mas por causa do que não se sabe, e é desacreditado (é um temo)."

"Mas o que não se sabe, ou é desacreditado?"
" Ouça, Asclepius! Há um grande demônio. O grande Deus o nomeou para ser supervisor ou juiz sobre as almas dos homens. E Deus o colocou no meio do ar, entre a terra e o céu. Agora, quando a alma sai do (o) corpo, é necessário que ele conheça esse daimon. Imediatamente, ele (o daimon) vai cercar este (masc.), e ele vai examiná-lo em relação ao personagem que ele desenvolveu em sua vida. E se ele descobrir que ele piedosamente realizou todas as suas ações para as quais ele veio ao mundo, este (daimon) vai permitir-lhe ... (1 linha faltando) ... transformá-lo [...]. Mas se ele vê [...] neste [...] ele trouxe sua vida para atos malignos, ele o agarra, enquanto ele foge para cima, e o joga para baixo, para que ele seja suspenso entre o céu e a terra, e seja punido com uma grande punição. E ele será privado de sua esperança, e estará em grande dor.

"E essa alma não foi colocada nem na terra nem no céu, mas ela entrou no mar aberto do ar do mundo, o lugar onde há um grande fogo, água cristalina, e sulcos de fogo, e uma grande revolta. Os corpos são atormentados (em) várias (maneiras). Às vezes eles são jogados no fogo, a fim de que ele possa destruí-los. Agora, eu não vou dizer que esta é a morte da alma, pois foi libertada do mal, mas é uma sentença de morte.

"Asclepius, é preciso acreditar nessas coisas e temê-las, para que não as encontremos. Pois os incrédulos são implosos e cometem pecados. Depois, eles serão obrigados a acreditar, e não ouvirão apenas boca a boca, mas experimentarão a realidade em si. Porque eles continuavam acreditando que não suportariam essas coisas. Nem só... (1 linha faltando). Primeiro, Asclepius, todos aqueles da terra morrem, e aqueles que são do corpo cessam [...] do mal [...] com estes deste tipo. Para aqueles que estão aqui não são como aqueles que estão lá. Então, com os daimons que [...] homens, eles apesar [...] lá. Assim, não é a mesma coisa. Mas, na verdade, os deuses que estão aqui vão punir mais quem escondeu aqui todos os dias."

"Trismegistus, qual é o caráter da iniquidade que está lá?"
" Agora você pensa, Asclepius, que quando se toma algo em um templo, ele é impioso. Para esse tipo de pessoa é um ladrão e um bandido. E este assunto diz respeito a deuses e homens. Mas não compare aqueles aqui com os do outro lugar. Agora eu quero falar este discurso para você confidencialmente; nenhuma parte disso será acreditada. Pois as almas que estão cheias de muito mal não entrarão e vão para o ar, mas serão colocadas nos lugares dos daimons, que estão cheios de dor, (e) que estão sempre cheias de sangue e abate, e sua comida, que está chorando, de luto e gemendo."

"Trismegistus, quem são esses (daimons)?"
" Asclepius, são eles que são chamados de 'estranguladores', e aqueles que rolam almas na terra, e aqueles que os flagram, e aqueles que lançam na água, e aqueles que lançam no fogo, e aqueles que trazem as dores e calamidades dos homens. Pois tais não são de uma alma divina, nem de uma alma racional do homem. Em vez disso, eles são do mal terrível.

A tradução original deste texto foi elaborada por membros do
Projeto de Biblioteca Gnóstica Copta do Instituto de Antiguidade e Cristianismo, Claremont Graduate School.
O Projeto biblioteca gnóstica copta foi financiado pela UNESCO, pelo National Endowment for the Humanities e por outras instituições.
E. J. Brill afirmou direitos autorais sobre textos publicados pelo Projeto copta da Biblioteca Gnóstica.

A tradução aqui apresentada foi editada, modificada e formatada para uso na Biblioteca da Sociedade Gnóstica.
Para citação acadêmica, consulte as edições publicadas deste texto.