DRAGÃO AMARELO

 

TEXTO sobre CIÊNCIA

DRAGÃO AMARELO

 

Luz Calor e Som

"1. No princípio, Deus criou o céu e a terra.
2. A terra estava sem forma e vazia; as trevas cobriam o abismo e um vento impetuoso soprava sobre as águas.
3. Deus disse: "Que exista a luz!" E a luz começou a existir.
4. Deus viu que a luz era boa. E Deus separou a luz das trevas:
5. à luz Deus chamou "dia", e às trevas chamou "noite"..." Genesis 1, 1-5


E do conhecimento teosófico conhecemos uma célebre frase que diz: "O Primeiro Logos ordena ao Terceiro Logos: "Ide! E fecunda a Matéria Caótica!"."
Neste quinto tema, de metafísica, trataremos de alguns aspectos relacionados a criação do macrocosmos (o universo, galaxias, etc,..) e o microcosmos (homem), sua relação, etc.


Primeiramente explicaremos metafísica. A palavra meta= além, e física=natureza. Ou seja é o estudo da física, porém não apenas com nossos cinco sentidos humanos que conhecemos, mas utilizamos além disto, os demais sete sentidos internos para avaliar estes quesitos, por isto se faz tão importante para estes estudos, buscar o despertar da consciência, pois somente ela é capaz de nos trazer esta compreensão que estão além destas três dimensões euclidianas, já que se nos fecharmos apenas aos cinco sentidos, nos trará apenas as comprovações físicas, ou seja, a ciência materialista, a que não é capaz de apalpar a compreensão direta e objetiva por meio desta consciência, ou da comprovação direta.
Quanto aos termos macrocosmos e microcosmos, podemos relembrar os dizeres acima do Templo de Delphos: "Homem conhece-te a ti mesmo, e conhecerás o Universo e aos Deuses". Porque em síntese o homem é um universo em miniatura, assim como podemos fazer uma analogia que possuímos diminutos átomos, moléculas, células e sistemas em nosso organismo, podemos correlacioná-los com planetas, sóis, sistemas e galáxias, aos quais em sua totalidade formam o universo.


Diz-nos o Genesis que a terra estava sem forma e fazia e que as trevas cobram o abismo e um vento impetuoso (ou Espírito de Deus) soprava (ou pairava) sobre as faces das águas...


Aqui neste momento antes da criação, estudamos e assim compreendemos, que há o que chamamos de Absoluto, ou seja, Deus Imanifestado, Luz Incriada, Obscuro e negro para nossa mente, e para nossa compreensão. Porém armazena todo o conhecimento e toda a vida de forma latente até que o Primeiro Logos (O Pai) ordene ao Terceiro Logos (Espirito Santo) que fecunde a matéria caótica e então surja a vida (O Filho).


Aqui é a base e a origem de todas as autenticas religiões, todas possuem a Santíssima Trindade, o que difere é a nomenclatura, mas no fundo em sua natureza, em sua força é a expressão do mesmo.


Temos para nós Cristãos a nomenclatura de Pai, Filho e Espirito Santo. Para os Hindus chamam-se Brahama, Vishnu e Shiva. Para a cultura egípcia Osiris, Ísis e Horus. Para a Teosofia 1º Logos, 2º Logos e 3º Logos. Para os kabalistas: Kether, Chokmah, Binah, e assim sucessivamente. Em termos de forças a ciência ou a matemática conhecem como força Positiva, Negativa e Neutra. Para a física ou química pode chamar de Próton, Elétron e Neutron, e claro sempre baseando-se nesta Lei do Três, ou Lei da Criação. Existe também a Lei do Sete, onde esta Lei, após haver a Criação, deve organizar o que foi criado, e assim notamos o Universo, onde mundos, galáxias são criadas em um Cosmos (onde a palavra Cosmos significa ordenado, organização), nesta Lei dos Sete notamos as sete cores do arco íris, as sete notas musicais, os sete chakras principais do corpo humano, as sete dimensões da natureza, os sete dias da semana, etc...


Quanto a questão da Lei do Três, da Criação, é simples o entendimento, basta observarmos a natureza. Temos a força positiva ou masculina, a força negativa ou feminina, e temos a força neutra, que é justamente a união entre estas duas forças, o equílibrio, neste caso a união sexual, de onde todos nós seres humanos, todos os animais, e qualquer planeta, sol, galáxia, do universo foi criada, com esta mesma lei. Obviamente a criação se dá pela ação desta força magnética, ou sexual, entre estes pólos opostos, e da união destes surge o Filho (a criação em si).
Na aurora da Criação a manifestação de Deus se dá por Luz, Calor e Som. O Som representa a Força do Pai, a Luz do Filho e o Calor do Espírito Santo.


No universo tudo vibra, tudo tem sua frequência, e toda vibração produz som, mesmo que para nossos ouvidos humanos possamos não percebê-los, porém lá estão, existem, basta prestar atenção em algum animal doméstico, como um gato ou cão por exemplo, que produzimos sons inaudíveis para nossos sentidos físicos, porém estes animaizinhos são capazes de percebê-los com sua audição aguçada.
Nisto entra nosso aprendizado da Gnosis, deste conhecimento deixado por diversos mestres da humanidade ao longo da história, e podemos comprovar por nós mesmos, basta dedicar-nos e termos fé e paciência para compreendê-los e vivenciá-los. Alguns são de observação, outros demoram, semanas, meses, anos, tudo depende do mérito que tenhamos e do propósito de fazer as práticas.

O som como dissemos, tem relação com a força do pai, tem relação com a Morte Psicológica, ou primeiro fator da revolução da consciência, que é através dessa vibração, deste arrependimento sincero que tenhamos frente às nossas debilidades, é que partiremos, ou eliminaremos estes agregados psicológicos, erradicando assim estes elementos indesejáveis de nosso interior.


O exercício sábio deste som se dá em caminhar na natureza e escutar seu som, nos integrando com o mesmo, e com a natureza em si. Se dá em ouvir músicas clássicas, estas músicas por sua vibração produzem de forma de ressonância em nosso organismo, o mesmo tipo de vibrações, neste caso específico, elevando nosso estado de consciência, fezendo inspirar-nos, sentirmo-nos mais leves, mais alegres, etc... Com isto podemos meditar mais facilmente, podemos integrar-nos com nossas partes internas mais facilmente, orar ao Pai e a Mãe internos, etc... Também podemos usar as práticas de vocalização como as vogais I, E, O, U, A, M, S, alongadas, até terminar o ar dos pulmões. Estas vocalizações permitem que despertemos nossos chakras, nossos sentidos internos. Também por meio do verbo, podemos utilizar a oração como meio de comunicação, já que orar é conversar com Deus, neste caso pode ser nosso Pai interno, Mãe interna.


O som mal utilizado nos trás consequências mais ou menos graves, dependendo da intensidade e da frequencia que usamos, ou mal utilizamos este som. A medicina já conhece que os ruídos produzem diversos danos a nossa saúde, principalmente psíquica, nos trazendo irritações, violência, estresse, entre outras manifestações, além de produzir enrijecimento das paredes do coração, aumento da pressão sanguínea, etc.. Igualmente devemos observar nosso verbo, ou em outras palavras, o que sai de nossa boca. Com grande sabedoria o Mestre Jesus diz em uma das passagens "A boca fala o que o coração está cheio". E assim é, palavras de baixo calão, palavras decompostas produzem enfermidades, na própria pessoa, e também naquelas a qual foi proferida a palavra, além de ficar no ambiente, e isto muitas vezes percebemos quando chegamos a algum ambiente e nos damos conta que aquele ambiente está "carregado".


A Luz, é a manifestação do Filho, é a Iluminação que muitos almejam, é o resultado do terceiro fator da revolução da consciência, o Sacrifício pela Humanidade, em realidade, é uma retro alimentação, pois temos Luz para executar determinada tarefa em determinado momento, claro que esta Luz é dada pelo nosso Ser, mas também extraímos Luz da situação quando passamos pela mesma. A Luz é a expressão do Amor, é a expressão do Filho de Deus. A Luz conseguimos com o trabalho de morte psicológica também, mas quando executamos cada vez um sacrifício consciente e voluntário para os demais. A morte psicológica é um sacrifício também, pois sacrificamos algo egoísta dentro de nós, e isto se externa, então é um sacrifício para com os demais também não executarmos tal ou qual agregado psíquico. Igualmente conseguimos desenvolver a luz com a meditação, além de práticas rúnicas, e claro, Sacrifício consciente e voluntário pela humanidade.


O Calor é a expressão do Espírito Santo. Este é o responsável por unir as forças, é esta força criadora, que permite que nasçamos nós, e também os planetas, sóis, galáxias e etc. Esta força está principalmente depositada em nossos órgãos sexuais, e trabalhando conscientemente e positivamente com esta energia, poderemos ter o poder de criar como Deuses, como nos ensina o VM Samael Aun Weor. Não é a toa que quando um casal se ama, e nos momentos de carícia e amor, seus corpos esquentam, porque ali, está entrando em atividade esta força criadora, para que possamos nascer internamente, criar o que chamamos de Corpos Solares, ou seja, dentro destas sete dimensões, além do corpo físico, possuímos outros corpos, que ao todo são sete. Talvez o mais conhecido por todos seja o corpo astral, onde nos movemos nos momentos de repouso ou de sono, por isto sonhamos, é para lá que nos deslocamos todas as noites, seja consciente ou inconscientemente. A criação destes corpos superiores nos fará destros, e aptos a estar nestas dimensões superiores da natureza, de forma consciente, como se estivéssemos no mundo físico, porém lá, o tipo de matéria é outra, mais sutil, por exemplo, lá podemos voar, nos deslocar instantaneamente, conversar com nossos entes queridos, ajudar aos demais que estejam com dificuldades, etc..


O desenvolvimento deste fator nascer, desta força do calor ou do Espírito Santo, se dá pelo sábio manejo de nossas energias sexuais, em outras palavras, ao sábio uso das mesmas. Podemos para irmos purificando aos poucos esta energia, desenvolvermos as vocalizações, podemos além daquelas passadas acima, utilizar o mantram OM, para desenvolvermos a intuição para nos auxiliar nestes trabalhos. Podemos igualmente e principalmente pedir muito auxílio a nosso Pai e Mãe internos, muita oração, para que aos poucos vamos purificando esta energia, já que desgraçadamente na sociedade atual, utilizamos de forma totalmente equivocada, desperdiçando-a torpemente.


Luz, Calor e Som, são as três forças primárias da natureza. São Pai, Filho e Espírito Santo. São também as três cores primárias, Azul (Pai), Amarelo (Filho) e Vermelho (Espírito Santo), também são forças indivisíveis, ou seja, que não podem ser separadas, embora para analisarmos as separamos, para uma melhor compreensão. Mas são indivisíveis, assim como nosso trabalho interno, devemos trabalhar com os três fatores da revolução da consciência, em equilíbrio, ou seja, Morrer, Nascer e Sacrifício pela Humanidade em equilíbrio, só assim poderemos ir começar a trilhar um caminho espiritual e revolucionário (revolucionarmos contra nós mesmos, contra quem nós somos, conscientemente).


Prática:
Vocalização: I, E, O, U, A, M, S e OM
Meditação: 10min diários

 

 

22/07/2017