DRAGÃO AMARELO

 

TEXTO sobre FILOSOFIA

DRAGÃO AMARELO

 

O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA

Damos continuidade aos temas, e trataremos deste tema sobre o despertar da consciência.

Primeiramente, por que " o despertar da consciência"? O Despertar nos indica que estamos adormecidos, catatônicos, atordoados, letárgicos. A Consciência nos remete a esta força, esta luz, esta sabedoria que está dentro de cada um de nós, e que nada tem a ver com o conceito habitual que temos de estarmos conscientes, quando de posse dos cinco sentidos ou quando estamos em estado de vigília, ou acordados após uma noite de sono.

O despertar da consciência é algo que todos os Mestres que passaram pela humanidade, procuraram deixar como ensinamentos, para que despertássemos esta consciência, que pudéssemos comprovar por nós mesmos a realidade da natureza, em todas as suas manifestações, seja no mundo tridimensional, seja em dimensões superiores. Que nos tornássemos donos de nós próprios, conhecendo profundamente, e realmente nosso interior, nossa Realidade. Sabendo quem somos? de onde viemos? para onde vamos? qual o propósito da vida?

A Consciência, é esta Luz, esta Verdade, esta Força Divina, que centelha em nosso interior, porém que está apanhada, ou engarrafada dentro do que chamamos Ego, Eu, Agregado Psicológico, valores negativos, etc... Ou seja, este Eu, este agregado psicológico, mancha, suja, apodrece, ou simplesmente engarrafa a Consciência(que é ilimitada, divina), e deixa esta força, presa, limitada dentro de idéias, conceitos, preconceitos, hábitos, etc...

A Essência (Consciência) de maneira geral, temos livres 3%. Contudo mesmo estando livres, normalmente estão adormecidas, para despertar necessitamos realizar práticas, exercê-las, viver a vida com sabedoria. Estes 3% são simbolizados pelas três forças primárias da natureza, são elas: Pai, Filho e Espírito Santo. Na bíblia encontramos este ensinamento em Davi e Golias, onde Davi representa estes 3%, por ser pequeno, e Golias, representa as manifestações egóicas, com seus 97%.

Há alguns contos, chamados infantis, que procuram simbolizar isto, ou procura entregar uma chave, passar um conhecimento, através de uma história, uma mitologia, ou mesmo um "conto de fadas".

Muitos conhecem a história da Branca de Neve, por exemplo, e que esta necessita encontrar o Príncipe Encantado para que desperte de seu sono profundo, pois ela comera da maçã enfeitiçada pela Bruxa, e que este despertar ocorre por um beijo daquele príncipe que a ama. Ao observarmos atentamente esta história, ou este conto, podemos verificar que a Branca de Neve representa justamente nossa Consciência, que cai em um profundo sono, depois de haver provado do fruto enfeitiçado, ou envenenado. Esta bruxa representa este impulso negativo que temos em nosso interior, e ter consumido o fruto, simboliza a consumação do delito, que é o que nos faz adormecer. Somente mediante o beijo do Príncipe, a Dama, novamente despertará, isto é, só através de nossa Vontade e polimento de nossas debilidades, dirigida e guiada por nosso Ser, por meio de trabalhos ordenados poderemos novamente reconquistar esta Consciência, outrora perdida.

Outro conto interessante de relatar, que aborda o mesmo tema, é o de Aladin, no qual ele precisava esfregar uma lâmpada mágica, para que de dentro surgisse o Gênio. Isto nada mais representa que devemos nos polir, aparar nossas arestas, eliminar nossas debilidades, agregados psicológicos, eus, ego, etc... para que desta lâmpada mágica surja o Gênio, ou a Essência (que transformada em fatos, ou feitos é a Consciência).

Igualmente podemos encontrar sua simbologia no conto de Cinderela, onde esta perdeu seu sapatinho. O sapato simboliza o caminho que percorremos, nosso caminho interno, e perder este sapato simboliza desviar-se do mesmo. Esta princesa Cinderela que vive como empregada, vive a mercê de sua madrasta, esta última simboliza nossos agregados psicológicos, que quer fazer todas as suas vontades, mantendo cativa a nossa Consciência, ou esta Cinderela, até que apareça o Príncipe com seu sapatinho perdido, e se despose com ele. Também simbolismo das almas gêmeas.

A Consciência nos permite conhecer a nós mesmos, em realidade e em verdade, não no que imaginamos ser, mas em seu cru realismo, apresentando todas as nossas debilidades, faltas, etc. Permite-nos conhecer os mistérios da vida e da morte. Levar a Luz a quem precisa, pois ela mesma é Luz, então quando nos permitimos que esta luz penetre em nós mesmos, podemos ser seu "espelho", refletindo esta luz, em nossas trevas interiores, e consequentemente, para auxílio ou sacrifício pelos demais que carecem de luz.


Prática:

Por meio da prática passada, observador e observado desenvolvemos conjuntamente a chave sol.

S - sujeito (quem sou, quem sou eu que fala, que pratica, que olha?)
O - objeto (o que faço?)
L - lugar (onde estou?)

É muito importante realizar esta prática para desenvolvermos consciência. Estas perguntas não são para serem feitas mecanicamente, embora o início da prática normalmente se dê desta forma mecânica. Mas com o tempo, devemos sempre ter o intuito de desenvolvê-la para SENTIR estas perguntas. Esta prática nos permitirá a Integração com o Ser. Se puder ser resumida a prática poderíamos dizer - Prática de Integração com o Ser, nosso Pai. Também pode ser com nossa Mãe Divina Kundalini, que é o desdobramento do Pai, ou seja, é o mesmo, porém derivado. Este estado pode ser alcançado quando em meditação.

 

29/05/2017