DRAGÃO AMARELO

 

TEXTO sobre FILOSOFIA

DRAGÃO AMARELO

 

O Caminho e a Vida

Quantos de nós já não passamos por situações bastante complicadas, angustiantes, realmente difíceis, que verdadeiramente é como se nos tirassem o chão e caíssemos num abismo ou um poço tão profundo que parece que não conseguíssemos sair do mesmo?

Quantos de nós realmente saiu? porque há estas situações? o que há de especial nelas?

O comum é que a humanidade se veja enredada pelas situações ou circunstâncias da vida, e aquelas situações vão se repetindo, e se repetindo, cada vez mais intensas, e um reage sempre da mesma forma ou pior, com seus ataques de ira, de cobiça, de ganância, de orgulho próprio, uma infinidade de elementos negativos que reagem, e e este não se dá conta destes mistérios que se envolvem e se escondem detrás do véu da vida.

Raro aquele que em meio a estas adversidades ponha atenção e profundamente se questione o motivo de tudo isto, para compreender verdadeiramente o motivo de tudo, de seus mistérios, e suas soluções. Obviamente que o questionamento em si, existe, muitos se questionam, o que acontece em seguida é que passado o momento cessam o questionamento, não lhes importa mais o ocorrido, e se esquecem deste "chamado" que houve, e seguem com suas vidas, mas já sem a introspecção que normalmente os momentos mais difíceis nos trazem. Este chamado, esta atenção que gera os questionamentos em momentos difíceis, é justamente para que possamos nos tornarmos introspectivos e olharmos para dentro de nós, e procurarmos encontrar quem está nos chamando e encontrar a luz que se oculta por trás destas adversidades. Estas situações que muitos passam, muitos denominam karma, e verdadeiramente isto é algo que não é muito bem compreendido, muitas vezes, pelas pesssoas, já que o karma é a medicina da alma, ou seja, é algo para curarmos nossa alma, mas trataremos em outro momento estes aspectos do karma e da lei Divina.

Se não houvessem estas circunstâncias difíceis, nos questionaríamos? olharíamos para dentro de nós? buscaríamos compreender os mistérios que envolvem a vida? É claro que alguns casos sim, um já nasce com esta predisposição, com uma consciência já "pronta" a buscar seu Ser, e seguir sua Obra Espiritual nesta existência, mas o que ocorre na maioria das vezes é que necessitamos a passar por certos choques de consciência. Também servem os momentos chamados alegres, para esta introspecção, mas o normal que haja é que se a pessoa está "feliz", ela fica completamente fascinada com aquilo, e ela põe atenção na sua alegria, ou seu fascínio, e tende a não se questionar.

Este olhar que se dá nestes momentos, é para percebermos que a vida pela vida, fica sem sentido, que há algo mais, de mais valor, mais transcendência, e pelo qual vale a pena lutar que é nossa Alma, e mais concretamente, nosso Ser. Fazemos um parenteses aqui sobre esta questão da Alma. Temos Alma, porém não a possuímos. Com justa razão nos ensina o Mestre Jeshuá Ben Pandira (Jesus) quando diz: "Com paciência, possuireis vossas almas". Pois este tipo de trabalho para possuir alma, e estarmos em busca de nosso Ser, nosso Pai Interno, é um trabalho de paciência, já que leva muito tempo para desenvolver estes valores, encarná-los como consciência.

E é justamente nestes momentos de questionamentos, de indagações, que se abre diante de um, alguns momentos de consciência, onde há esta espécie de chamado interno, que se abre a oportunidade de trilhar este caminho, mesmo estando sujeito a estas condições da vida.

Pensemos numa cruz, onde o madeiro horizontal representa a vida, e todos os aspectos e circunstâncias que nela ocorrem, como os que citamos acima, e pensemos no madeiro vertical como sendo este caminho. Neste caso que estamos estudando, a vida representa as situações externas, e o caminho representa algo interno. Claro, que para trilharmos o caminho necessitamos das situações da vida também, para que aprendamos, para que possamos extrair consciência da mesma, porém é algo interno, e em realidade solitário, pois somente cada um deve trilhar por si mesmo, e somente um pode trabalhar com seus aspectos psicológicos e eliminar seus defeitos, nascer alquimicamente e sacrificar-se pela humanidade. Seria absurdo supor que outro fizesse este trabalho por nós. É claro que em muitos momentos, temos a companhia de nossos semelhantes, de pessoas que buscam o mesmo objetivo, e podemos trabalhar juntos, para nos dar suporte, nos auxiliarmos, porém, o caminho é algo individual, e isto deve ficar claro.

Nosso despertar, a percepção da realidade do momento se dá justamente na interseção destes dois madeiros, em um ponto matemático e exato, onde um vive o instante, o momento, livre de conceitos, de dogmas, de pensamentos pré estabelecidos

O início deste caminho se dá, no momento que um rebela-se contra si mesmo, contra seus hábitos, costumes, contra quem é, e decide ir em busca de seu Ser, e passa a trabalhar sobre estes três aspectos da revolução da consciência, passa a realmente querer deixar de ser quem era, para se tornar algo transcendente, para encarnar suas virtudes, sua consciência, sua Luz, seu Ser. Obviamente esta mudança não são fingimentos, não são poses, são mudanças drásticas, que mudam radicalmente quem a pessoa é, no mais profundo de sua alma. É claro, que esta trabalho não se dá da noite para o dia, esta mudança se dá de forma paulatina, lentamente, muitas vezes a própria pessoa não percebe com clareza sua própria mudança, mas é algo que vale a pena lutarmos, pela conquista de nossa Alma, e nosso Ser.

Prática:

Viver o instante. Aprender a por atenção em cada questão ou circunstância de nossas vidas. Meditar. Perguntar-se constantemente se estamos no mundo físico ou no mundo astral.

15/09/2017