DRAGÃO AMARELO

 

TEXTO sobre FILOSOFIA

DRAGÃO AMARELO

 

A Educação Fundamental

Hoje trataremos deste tema que pode ser espinhoso para alguns. É um tema, como todos os outros, bastante amplo, de muitos níveis de estudo que nos cabe refletir e analisar.
Iniciaremos a refletir nas palavras que são o título deste tema. A palavra fundamental, nos remete a idéia de fundamento, de algo básico, necessário, primordial. Pensemos nas fundações das construções de engenharia, para que uma casa ou uma edificação fique firme e não caia, não tenha problemas, é necessário fazer uma trabalho na base, ou na fundação deveras bem estruturada, assim este termo nos remete a parte educacional que deve ser algo muito bem trabalhado, estruturado.
Na atualidade, já há muito tempo, em realidade e em verdade é praticamente impossível observar uma Educação real, no seu sentido mais profundo, dentro da sociedade, seja por parte dos pais, seja por parte dos educadores ou escolas. O que hoje ocorre é que há excesso de instrução. Há muita instrução para com os alunos, porém praticamente não há educação real.
Muitas pessoas se debatem em quem recai a responsabilidade de educação, se é sobre os pais, ou sobre a escola, e em realidade e em verdade teremos que dizer que são os dois. Pelo simples fato de que a criança é responsabilidade dos pais, e estes tem a obrigação de darem a melhor educação a seus filhos. Os professores por terem escolhido esta profissão. É claro que hoje em dia há muito empurra empurra, mas a verdade é que talvez estes não querem assumir a responsabilidade que escolheram, seja como pais, seja como tornar-se professor, já que este último optou por seguir este caminho de educar.
Voltando ao termo educar, já dissemos que o que hoje há é na verdade a instrução, já que desde o início tanto pais como professores, e hoje também temos os meios eletronicos, os quais despejam conteúdos e mais conteúdos sobre a mente das pobres crianças, e porque também não dizer adultos, já que adultos também entram neste estudo de educação fundamental.
A educação deveria estar vinculada ao ensino sábio para a vida. Ensinar a como pensar e não o que pensar. A realmente procurar compreender cada indivíduo de forma particular, suas habilidades naturais, sua linguagem única, e instruir realmente cada indivíduo, dando este alimento anímico e espititual. Aqui vale uma reflexão, afinal de contas, por quê estamos aqui? para quê viemos? qual nosso propósito? de onde viemos? para onde vamos?
A criança aprende com a sociedade, mediante exemplos, seja de seus pais, amigos, familiares, amigos da vizinhança, na escola e hoje em dia mediante a internet, e todos estes exemplos e impressões adquiridas vão formar a personalidade deste indivíduo, bem como a sua parte psíquica.

Nesta vida podem-se gerar muitos traumas, muitos complexos, neste período da infância, a criança de hoje é o adulto de amanhã, assim que caso hajam instruções mal orientadas, que alimentem unica e exclusivamente uma mente, personalidade e somente o ego destes como questões de competitividade, ambições. Isto é uma forma decrépita que a humanidade se encaminha, obviamente esta criança será um adulto frustrado, rancoroso, invejoso, vingativo, agressivo, etc... aqui falamos de fatos, e não de aparências, ou seja, o que realmente move o indivíduo em seu interior.
Igualmente se houver, uma educação adequada, que alimente a virtude, o amor, a caridade, o diálogo, o questionamento, nesta criança despertará o amor pelo próximo, o amor a Deus, o amor a ser um servidor de Deus, aqui na terra, cumprir com seus desígnios, com sua Vontade, lembremos como diz a sagrada oração do Pai nosso: "Faça-se a Tua vontade assim na terra, como no céu". Ou seja, o que há é que normalmente queremos cumprir nossa vontade, que Ele escute a nossas súplicas para que um tenha o que quiser, mas não ocorre a um se perguntar, "e o que Ele quer?".
Outro fator a ser lembrado é a questão da personalidade. A personalidade como já estudamos anteriormente, é um veículo energético que é meio de expressão tanto para a consciência quanto para o ego, o problema é que hoje em dia praticamente tudo que vive a humanidade é em função de um sistema completamente egóico, caduco e degenerado, o que dificulta e muito a expressão da consciência. Mas o que falaremos aqui é da questão de quando nasce o indivíduo, nestes primeiros 7 anos de vida, onde a personalidade de um está se formando, e após isto, se consolida e se "empedra" cada vez mais, com seus conceitos rançosos. Podemos observar em uma criança abaixo destes 7 anos a sua beleza, sua simplicidade, alegria, já que a personalidade ainda não está formada, e este veículo ainda está "efraquecido" pelas ações egóicas, permitindo assim a manifestação mais ampla da consciência. É por isto que as crianças tem clarividência, tem facilidade de perdoar, e compreender muitas questões, pois ali manifesta-se sua consciência que não está engarrafada pelo ego, ou seja aqueles famosos 3% e mais a quantidade que tenha liberado em outras existências, ou "vidas" anteriores, mediante trabalho consciente e voluntário, em outras palavras, os três fatores de revolução da consciência.
Prática:
Observação. Auto-observação. Procurar mediante o sacrifício consciente auxiliar nosso próximo, seja ele nossos pais, irmãos, familiares, amigos, colegas de trabalho, ou algum desconhecido.

07/12/17

 

15/09/2017