DRAGÃO AMARELO

 

TEXTO sobre RELIGIÃO

DRAGÃO AMARELO

 

O Dragão Amarelo

O Dragão é um ser mitológico, bastante conhecido pela atual humanidade, e que tem muitas representações, celebrações e festas de cunho religioso ao redor do mundo, principalmente na China, onde observamos diversos templos e celebrações com imagens, monumentos, pinturas envoltos deste misterioso ser mitológico.

A China certamente é um país fascinante e que possui muitos mistérios em sua civilização, porém, como é normal ocorrer, infelizmente hoje em dia não é nem sombra do que já fora, ainda assim resguarda certos lugares misteriosos, como o deserto de Gobi, o qual o Mestre Samael nos ensina que naquela região, na meseta central da Ásia, se desenvolveu a atual raça ária.

Depois desta breve divagação, vemos que o Dragão, nesta cultura, normalmente é representado perseguindo ou portando uma esfera, representação da pérola seminal, a nona esfera, o sexo. Esta pérola seminal dentro de nós deve ser lapidada, trabalhada, mediante o nascimento alquímico, a morte psicológica e o sacrifício pela humanidade. O ato sexual entre marido e esposa deve ser sem chegar ao orgasmo, sem derramar este líquido sagrado, retendo este em seu organismo, e fazendo-o ascender mediante a transmutação, o poder da imaginação, da oração, e principalmente o Amor, por seu parceiro, pela Mãe Divina, por Deus. O aspecto de purificação desta esfera advém do trabalho de morte psicológica, fazendo com que esta esfera, inicialmente de cor negra, representando nossos defeitos psicológicos, vá aos poucos, se tornando pura, branca, imaculada, para posteriormente, ao fim tornar-se amarela, que é quando um Cristifica-se, mediante estes trabalhos conscientes e padecimentos voluntários, ou o sacríficio, o Amor. Estes três aspectos devem sempre caminharem juntos, em equilíbrio, para que possa nascer em realidade e em verdade o Cristo dentro de nós mesmos, aqui e agora. Estes três aspectos representam justamente as três forças primárias da criação, Pai, Filho e Espírito Santo, o qual são indissolúveis, ou seja, onde há um, há os outros dois, por isto diz-se que o Cristo é unidade multipla perfeita, com justa razão a morte, o nascimento e o sacrifício, estão sempre juntos, mesmo que um se manifeste mais que outro em algum momento, mas que no fundo são um só, pois se refletirmos que na alquimia (nascimento) há o sacrifício de não se levar pelas paixões humanas, e neste momento há a morte de algo negativo dentro de nós. Assim como na morte, há o sacrifício para deixarmos de sermos o que somos para tornar-nos a sermos o que anelamos ser, e no processo disto há um nascimento. Por isto, o VM Lakhsmi diz que não há morte sem despertar, nem despertar sem morte, porque é cíclico, tem movimento, e como sabemos, o Cristo é movimento.

Toda esta obra interna, é gradual, longa, amarga, o caminho é estreito e poucos são os que chegam ao final, e algo que devemos buscar compreender, é que este trabalho interno, de encarnar nossa alma, depois nosso Ser, ainda não termina aí, há mais além disso, devemos procurar encarnar o Dragão da Sabedoria, o Dragão Amarelo, que é como se fosse o Pai, de nosso Pai Particular, é nossa Mônada Interna, nosso Raio Particular de onde emanamos do Absoluto. É claro, que isto são trabalhos titanicos, e que o importante primeiramente é lutarmos para conquistar nossas almas, mas é importante também conhecer o longo percurso que temos, e também termos consciência, ou nos darmos conta da distância que estamos da Grande Realidade, desta Luz de Luzes, desta Luz Primordial, Incriada.

Então, que este Dragão Amarelo, nada mais é do que o próprio Cristo, é a representação do mesmo, que devemos buscar encarná-Lo dentro de nós mesmos aqui e agora. Mas não desanimem, não estamos sós, os Veneráveis Mestres da Loja Branca nos acompanham, nos auxiliam, nos dão forças, muito mais do que imaginamos, para que possamos trilhar este árduo caminho, bem como nosso próprio Dragão da Sabedoria nos impulsiona para que nos auto-realizemos, para a bem aventurança de Sua Obra.

 

15/09/2017